Área Externa

Airsoft, Área Medieval

Airsoft é um jogo desportivo de honra, pois o próprio oponente que toma o tiro deve se acusar morto. Os jogadores participam de simulações de operações policiais, militares ou de mera recreação com armas de pressão que atiram projéteis plásticos não letais, utilizando-se frequentemente de tácticas militares. É praticado em ambientes fechados ou ao ar livre, frequentemente em áreas de grande extensão.

No Shinobi Spirit você poderá sentir um pouco do que é esta experiencia no estande de tiro de airsoft da loja Meruru.

Em Parceria com o time Smoking Snakes, serão realizadas aulas de quadribol na área externa do evento para todos os trouxas interessados neste esporte.

Sobre o Quadribol:
O quadribol foi criado em 2005 por Xander Manshel e Alex Benepe, estudantes na faculdade de Middlebury em Vermont, US. Seu ocioso passatempo de domingo lançou as bases para o esporte que é pioneiro na questão de inclusão de gênero jogado hoje. Eles começaram a jogar regularmente intramuros, e em 2007 realizou-se o primeiro jogo intercolegial.
Em 2008, ocorreu um campeonato com a participação de 12 equipes. À medida que mais escolas criavam equipes diversos meios de comunicação começaram a tomar conhecimento da existência do esporte, ficou então claro que o esporte precisava de uma liderança mais formal. A IQA (International Quidditch Association) foi incorporada como um negócio sem fins lucrativos em 2010.
Em 2011, a IQA organizou o quinto torneio entre equipes em Nova York, um torneio de 96 equipes com competidores dos EUA, Canadá, Finlândia e mais de 10.000 espectadores. No mesmo ano, a recém-formada Associação Australiana de Quadribol organizou seu primeiro grande torneio e o primeiro evento fora da América do Norte, a Copa QUAFL, em Nova Gales do Sul.
Em 2012, a IQA hospedou equipes nacionais dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França e Austrália em Oxford, Inglaterra, para os Global Games (Jogos Globais) inaugurais, um torneio bienal mostrando os talentos dos melhores jogadores de todo o mundo. A competição ocorreu ao lado da cerimônia da tocha para os Jogos Olímpicos de Londres, estimulando o interesse e o crescimento do quadribol em toda a Europa. A partir desse ponto, organizações nacionais que governam o esporte surgiram em todo o mundo.
A segunda edição dos Global Games ocorreu em 2014 em Burnaby, Colúmbia Britânica, Canadá. Sete países competiram pela glória.
Em 2016 a terceira edição dos Global Games foi renomeada para IQA World Cup (Copa do Mundo da IQA). A competição ocorreu em Frankfurt, Alemanha, e contou com 21 times de quatro continentes diferentes, inclusive com o Brasil, que teve sua primeira participação. A Austrália sagrou-se campeã ao vencer os antigos bicampeões, os Estados Unidos.
A IQA atende a aproximadamente 20 organizações e países praticantes de Quadribol em seis continentes, assim como os milhares de jogadores e fãs que esses grupos representam.

Como o esporte funciona?
O quadribol é um esporte que visa a inclusão de gênero, de forma que não importe a sua identidade de gênero ou orientação sexual, todos devem disputar como iguais. O esporte mistura conceitos de diversas outras modalidades, como handebol, queimada e rúgbi. O objetivo é marcar pontos ao atravessar a bola por um dos três aros do campo adversário, ao mesmo tempo se esquivando dos batedores (jogadores que utilizam a bola de queimado para parar o ataque adversário). Além disso, busca-se capturar o pomo para anotar 30 pontos e encerrar a partida.
Existem 5 bolas em jogo: 3 balaços (bolas de queimado), 1 goles (bola de vôlei) e 1 pomo (bola de tênis dentro de um meião).
Cada time possui 7 jogadores em campo com substituições ilimitadas. Cada jogador utiliza uma testeira em sua cabeça obrigatoriamente como forma de identificação da sua posição em jogo :
* 3 Artilheiros – Estes jogadores identificados com a testeira branca utilizam apenas 1 das 5 bolas em campo, a goles, com o objetivo de marcar gols ao atravessá-la pelos aros adversários e ampliar o placar para o seu time. Cada gol vale 10 pontos, independente do aro em que o gol tenha sido marcado.
* 1 Goleiro – Estes jogadores identificados com a testeira verde têm a função de defender os aros do seu time, impedindo que o time adversário amplie o placar. Em algumas situações, quando o goleiro está em posse da goles dentro da área do goleiro, ele está imune à queimada dos batedores e ninguém pode tentar tomar sua bola. Quando está fora da sua área do goleiro, funciona como um artilheiro comum.
* 2 Batedores – Estes jogadores identificados com a testeira preta têm a função de utilizar os balaços (bola de queimado) para queimar outros jogadores e parar a jogada adversária. Cada jogador queimado por um desses balaços deve soltar qualquer bola que esteja em sua posse, desmontar da vassoura, voltar ao seu campo e tocar em um de seus aros para poder voltar ao jogo.
* 1 Apanhador: Estes jogadores identificados com a testeira amarela têm a função de capturar o pomo, uma bola de tênis presa em um meião que está presa na parte de trás do short do corredor do pomo. O corredor do pomo é uma pessoa imparcial com o objetivo de não ser capturado por nenhuma das equipes. O apanhador só entra aos 18 minutos de partida e o jogo só é encerrado após a captura do pomo.

Sobre o Smoking Snakes:
O Smoking Snakes é o principal time sulista, sendo o primeiro a ser criado, em dezembro de 2015.
Representante da Associação Brasileira de Quadribol (ABRQ) em território paranaense, o Smoking Snakes realiza treinos semanais no parque Barigui, atraindo tanto fãs do esporte quanto fãs da saga Harry Potter.
Contando com um total de 20 jogadores e colaboradores, o time se concretiza como um dos maiores do país.
Atualmente o grupo está buscando a profissionalização de seus jogadores em busca por patrocínio e mais colaboradores para a compra de uniformes e materiais de jogo profissionais. Caso queira colaborar ou fazer parte deste grupo, basta entrar em contato!

Terra Média CWB é um evento de temática medieval sediado na cidade de Curitiba. O objetivo desta iniciativa é a livre divulgação e popularização da temática do evento na capital paranaense.
A segunda edição do Terra Média CWB acontecerá no 1º semestre de 2018.

Atividades: Swordplay – Arco e Flecha – Combate Viking – Arremesso de Machado – Arremesso de faca – Arremesso de Shuriken

Sobre o Grupo Storm Swordplay:

Um grupo de amigos, um sonho na cabeça e uma espada de espuma nas mãos, assim surgiu o Storm Swordplay.
Sediado na cidade de Curitiba o grupo surgiu em dezembro de 2009 quando foi realizado o primeiro treino do grupo que posteriormente veio a participar de vários eventos na cidade, tais como o Shinobi Spirit, o World RPG Fest e a Convenção Trekker. Agora o Grupo Storm Swordplay realiza treinos abertos ao publico mensalmente possibilitando que mais e mais pessoas tenham contato com nosso esporte.

O que é Swordplay?

Mas então, o que é o tal “swordplay“?
Swordplay, também chamado de boffer combat, é uma atividade física que mistura elementos de artes marciais e combate com espadas, com algumas regras, que permitem manter tudo sob controle.
Primeiramente, o equipamento. As armas boffer (ou simplesmente boffers) são equipamentos feitos basicamente com tubos de PVC e espuma, que são usados para atingir o oponente em certas áreas do corpo, marcando pontos. Falamos de espadas por serem o tipo mais comum de boffer, mas também existem machados, lanças, martelos e até, dependendo da situação, lightsabers! Todas as boffers usadas em treinos e eventos são inspecionadas individualmente para verificar a sua integridade e garantir a segurança dos participantes.

ARENA

Em eventos para garantir a diversão e segurança dos participantes são realizadas batalhas por pontuação que são acompanhadas por um membro do grupo que atua como de juiz. O juiz explica as regras aos combatentes, registrando os pontos e os lembra que é apenas uma brincadeira onde vence a habilidade e não a força.
Os combates são por pontuação, o primeiro combatente que marcar 5 pontos atingindo as áreas permitidas do corpo do oponente vence.
Caso um dos combatentes acerte acidentalmente uma das áreas proibidas, ele ganha uma infração, caso some duas infrações ele perde automaticamente.

ÁREAS DE CONTATO NO SWORDPLAY

VERMELHO – ÁREAS PROIBIDAS DE SEREM ATINGIDAS EM UM COMBATE (CABEÇA, GENITÁLIA NO CASO DOS HOMENS E SEIOS NO CASO DAS MULHERES). Caso uma dessas áreas seja atingida acidentalmente, o combatente que a atingiu ganha uma PENALIDADE. Caso um combatente some duas penalidades, ELE AUTOMATICAMENTE PERDE O COMBATE.

VERDE – DORSO (tronco e costas). Ao atingir um dos membros do oponente o combatente soma 2 pontos

AZUL – MEMBROS (braços e pernas). Ao atingir um dos membros do oponente o combatente soma 1 ponto.

AMARELO – ÁREAS LIVRES (mãos e pés). Caso o combatente atinja essas áreas não soma pontos.

Nenhum item esportivo é tão ligado à história da humanidade como o arco. O arco garantiu a sobrevivência de vários de nossos antepassados com um instrumento de caça eficaz quando o homem ainda habitava cavernas; definiu o rumo de batalhas sangrentas na Antiguidade e Idade Média; e esteve presente em uma das primeiras edições dos Jogos Olímpicos modernos, em 1900.
O arco também foi desenvolvido por todas as civilizações antigas, de forma independente uma da outra, o que gerou uma enorme variedade desse item ao redor do mundo, do assimétrico e eficiente arco huno ao compacto e preciso arco indígena brasileiro, chegando aos arcos modernos, utilizados na modalidade esportiva tiro com arco.

A ideia é bastante instintiva: tensionar um arco com uma corda para lançar uma flecha; essa é a essência do conjunto arco e flecha. Milhares de pessoas ao redor do mundo fazem uso desses equipamentos, seja como prática recreativa, esporte ou caça.
Em Parceria com a Arqueria Curitiba, teremos no Shinobi Spirit um stand exclusivo para esta prática, pelo valor de R$10,00 (5 flechas).
A Arqueria Curitiba fica na Av. Getúlio Vargas número 399, a duas quadras do shopping estação, funcionando de terça a sexta das 15h as 22h, e nos sábados das 09h as 18h.

O Clã Skjaldborg é um grupo voltado à cultura Viking. O Clã pegou algo que anteriormente era trabalhado apenas como reprodução cultural e transformou em modalidade esportiva, com ordem pedagógica de ensino, sistema próprio de graduação, regras de competição e padronização de equipamentos. A esta nova modalidade marcial, foi dado o nome de Combate Viking.